Compreender o 1.º de Maio da Infância ao Secundário

Federação Nacional da Educação lança o desafio a todas as escolas, do pré-escolar ao secundário, para que “pintem” o Dia do Trabalhador. É um concurso, tem prémios, e os trabalhos têm de ser entregues até 24 de abril.

O 1.º de Maio é o Dia do Trabalhador e a Federação Nacional da Educação (FNE) volta a lançar o repto às escolas portuguesas para que pensem no assunto, nos direitos de quem trabalha, e coloquem mãos à obra. O concurso está lançado e os estabelecimentos de ensino, do pré-escolar ao secundário, podem entregar os trabalhos até ao dia 24 de abril. Podem fazê-lo diretamente ou enviar os trabalhos pelo correio para os sindicatos da FNE, promotores desta iniciativa.

É um dia importante, feriado nacional, e a FNE pretende que os alunos portugueses não passem ao lado da data, pesquisem mais sobre o tema, conheçam mais pormenores sobre o dia, e se envolvam em trabalhos de expressão artística – neste caso, a pintura. Reconhecer a solidariedade como um valor fundamental da sociedade é também um dos objetivos do concurso.

Todos os alunos podem participar e a FNE dividiu-os por escalões. O primeiro é para o pré-escolar e as crianças podem concorrer com pinturas e colagens e os trabalhos podem ser apresentados por turma ou por jardim de infância. No segundo escalão, estão os alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico e têm de apresentar trabalhos coletivos, de pintura, por turma ou por escola. O 2.º e 3.º ciclos estão juntos no terceiro escalão e os trabalhos, também de pintura, têm de ser individuais. Os alunos do Secundário estão no quarto escalão e as condições de participação são iguais às do terceiro escalão. E cada concorrente, ou seja, turma, jardim de infância ou escola, só pode concorrer com um trabalho.

Os trabalhos poderão utilizar qualquer tipo de suporte, mas não podem ultrapassar o tamanho A3. No verso de cada um, é preciso escrever o nome do autor ou dos autores, o escalão em causa, nome, morada, telefone ou e-mail do estabelecimento de ensino. E atenção, a falta de qualquer um destes elementos é motivo de exclusão do concurso.

Os três mais bem classificados em cada escalão ganham prémios. Um tablet para o primeiro, uma máquina fotográfica digital para o segundo e livros ou jogos didáticos para o terceiro. A avaliação será feita por um júri constituído para o efeito com um representante da FNE e outro da AFIET – Associação para a Formação e Investigação em Educação e Trabalho, um educador de infância, um professor do 1.º Ciclo e um docente de Educação Visual.

Os trabalhos premiados em cada modalidade serão divulgados no dia 27 de abril nas páginas de Internet e no Facebook da FNE. E estarão expostos no local onde a UGT – União Geral de Trabalhadores e a FNE se reunirão para comemorar o Dia do Trabalhador, em 1 de maio, altura em que serão entregues os prémios aos vencedores.

Fonte:

educare.pt